14 de junho de 2006

Pequena fábula escrita após o jogo do Brasil.

Mr. Malaman resolveu tornar-se publicamente meu amigo. Faz questão de me cumprimentar ao me ver; chama-me pelo nome, bem alto, para que todos vejam como ele sabe ser gentil e como é incapaz de guardar rancores. E, principalmente, para demonstrar que eu é que sou o mau, o perseguidor sem motivo, o invejoso de sua carreira bem sucedida de criador - traduzido e lido em mil idiomas. Estranho considerar que se eu, na ótica de Mr. Malaman, sou tão desprezível, o que o leva a querer que eu reconheça sua presença acachapante e sua voz de cano furado? Mr. Malaman, definitivamente, é um sujeito perigoso. Ridículo, mas nem por isso isento de periculosidade.

4 comentários:

Kuka disse...

Dentro daquela cabeçorra tem escrito em caixa alta fonte vermelha "Como ele ousa não me amar?". Você também, ein?

Kuka disse...

Aliás, alienada, sem computador e consequentemente nula na sociedade (kkk), não fiquei sabendo do ocorrido. Foi por causa do Malaman essa migração?
E, enfim, comentário relevante: a-do-ro quando vc coloca textos maiores.
E beijos.

drika4ever disse...

esse Man parece mesmo um mala!!! rs

bjos!!

Lívia disse...

Mas vc é tão mal!! Custava ser gentil com o Malaman?? Ele tem razão! rs
Beijocas