1 de julho de 2006

Resta o silêncio...

Até que enfim acabou. Agora serão horas e horas de debates, mesas-redondas e quadradas, bate-bola, bate-papo, encheção de saco e o cacete - tudo para tentar explicar a derrota, ou melhor, mais que isso, a ruindade do time. E que não era novidade para ninguém. Derrotar a Austrália, Japão e Gana nunca foram façanhas dignas de um time que se pretendia "o melhor do mundo" - ainda mais jogando como jogou. Sei também que irão dizer que a culpa é do técnico, o que não deixa de ser verdade. Que os jogadores só se preocupam com dinheiro (mas queriam o quê, por todos os deuses? Afinal, são jogadores profissionais!). E "que isso" e "que aquilo", e por aí iríamos pela madrugada. Fomos piores que nosso adversário, só isso. As razões efetivas para o "fracasso", entretanto, serão sempre de ordem econômica, como talvez dissesse o velho Marx. Mas isso, sinceramente, tem alguma importância?

5 comentários:

Juliana Marciano disse...

fala miyake! mesmo um pouco distante tenho estado perto, se é que consegue entender a minha complexidade feminina. fico feliz que tenha prosseguido diante das pedradas que a blogsfera lançou sobre você. aproveito para dizer também que, neste instante, estou retirando o finado lá do Proseando e acrescentando este jovem canal, o qual tenho certeza que persistirá. a prósito, acabou, né? mas acho que a culpa não vai ser do técnico, não. vão dizer que é praga da argentina. e eu estava prestes a aprender como funcionava o tal do impedimento. enfim, acontece. um beijo, ju.

Beatriz disse...

silêncio é o que resta, vc tem razão. é o que eu venho fazendo desde ontem.

Beatriz disse...

oi ricardo, cheguei aqui pelo doidivana, sim.
um beijo,
bia

dona da jaca disse...

e haja paciência...

drika4ever disse...

bola "quadrada" é bem condizente com o que nossa Seleção apresentou em campo...

enfim, acabou!!!

bjos!