20 de março de 2007

A gente se esbarra por aí...

Imaginem a cena: eu entrando no prédio "daquele lugar", tentando tirar um cisco do olho. Em direção oposta, o escritor ganhador de prêmios - futuro Nobel, essas coisas. No que me dou conta, recebo um safanão no ombro direito que quase me joga no chão. Três passos adiante, o escritor gritando bem alto, mas sem se aproximar e ver se tudo estava bem: "desculpa aí! Desculpa aí" Olhei para trás e vi o sorrisinho maroto de moleque que acabou de fazer arte, como se dizia antigamente. E ainda tem gente que acha que ele vale alguma coisa...

Não há o que fazer nesse tipo de caso. Poderia ter me jogado realmente ao chão, feito um escândalo, B.O., mas querem saber? É tudo o que ele quer: ser o centrinho das atenções. Melhor mesmo ignorar. Mas aí me vem o seguinte: se eu sou tão insignificante para ele, por que tanto trabalho em chamar minha atenção? É, eu sei a resposta...hehehe!

Por que divulgar tal notícia aqui? Porque é preciso, ao menos, registrar a baixeza de certos tipinhos. Para que isso não caia no esquecimento. Para que outros não sejam enganados.

Ah, não deixem de ler o poeminha abaixo, heim?

2 comentários:

Marpessa disse...

putz, fiquei curiosa. quem será? :)

Marpessa disse...

aquilo NÃO FOI UMA DICA! só piorou a curiosidade...humpf! :) preciso de mais uma dica. hahahaha!