19 de março de 2007

Mais poema!

"Pequeno registro edificante"

para R.L.

Os ratos se recolhem cedo
Enquanto a tarde desaba esmagando
Pernas e cabelos colados ao vidro.
Olhos miúdos te acompanham
Na cegueira de intestinos ao léu
E te desvias do caldo de fezes
Sangue e sêmem - mas teus sapatos
Dançam um pouco ali sem que caias.
Nada que as moscas não. Que eretos
Dedos deixem de apontar. Que o sol
Não queima ou vermes não roam.
Precisas disso. E te gestas
Nos miúdos e nos restos.
Naquilo de que só tu és feito.

Um comentário:

Viviana disse...

Vc vai me matar se eu te contar que ontem depois da audição ( lá pelas 16h) passei na FMU pra buscar meu diploma? Hehehehhe!!!